quarta-feira, 15 julho 2020

Suzano poderá perder médicos ainda nesse mês com decisão de Cuba de deixar programa Mais Médicos

A decisão do governo de Cuba de sair do programa Mais Médicos deve afetar a saúde pública em Suzano nos próximos dias, na cidade atuam aproximadamente 16 profissionais através do programa.

Em algumas oportunidades, o prefeito de Suzano Rodrigo Ashiuchi (PR) comemorou nas redes sociais a chegada de profissionais cubanos a cidade através do Programa Mais Médicos.
Em 18 de abril de 2017, Ashiuchi anunciou a chegada das médicas Gabriela Iyzuka Gullo, Mildays Pérez Sotolongo e Mercedez Cabrera Espinoza e disse que elas atuariam em unidades de saúde dos bairros Jardim Ikeda, Casa Branca e Jardim São José.
Em 4 de agosto de 2017, foi a vez do prefeito anunciar a chegada das médicas Yenia Quevedo Avila e Yainerys Garcia Perez. Na oportunidade ele não anunciou onde elas atuariam.
Já em 14 de setembro de 2017, Ashiuchi anunciou a chegada da médica Daymara González Rosendo. Nessa oportunidade ele também não anunciou onde a profissional atuaria.
Até o momento, a Prefeitura de Suzano não anunciou quais as unidades de saúde da cidade serão prejudicadas com a decisão de Cuba de deixar programa Mais Médicos.

Os médicos cubanos são pagos pelo Ministério da Saúde. O governo de Cuba informou nesta quarta-feira (14) que decidiu sair do Mais Médicos, citando “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro à presença dos médicos cubanos no Brasil.

O país caribenho envia profissionais para atuar no Sistema Único de Saúde desde 2013, quando o governo da então presidente Dilma Rousseff criou o programa para atender regiões carentes sem cobertura médica. No Brasil, São Paulo e Bahia são os estados com mais médicos cubanos pelo Mais Médicos.

Anúncio de edital

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (14) que lançará nos próximos dias um edital para convocar médicos que queiram ocupar as vagas a serem deixadas pelos profissionais cubanos do programa Mais Médicos.

(com informações do G1 – O site de notícias da Globo)