terça-feira, 24 novembro 2020

Baldeação em Guaianases deverá acabar até março e Expresso Leste fará “ponto final” na Estação Suzano da CPTM

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) deverá mudar definitivamente o trajeto do Expresso Leste até o mês de março deste ano (2019), quando a Estação Suzano deverá ser concluída definitivamente.
Em todos os horários, os trens da Linha 11-Coral sairão da Estação Luz em São Paulo com destino a Estação Suzano e vice versa, sem a necessidade de transferência em Guaianases. A informação foi apurada com exclusividade pelo site SuzanoHoje.com junto a fontes da Secretaria dos Transportes Metropolitanos do Governo do Estado de São Paulo.

Atualmente, a companhia realiza cerca de 30 viagens diretas entre as estações Luz e Estudantes.

Após a mudança. os passageiros que tem como destino as quatro estações da cidade de Mogi das Cruzes (Jundiapeba, Brás Cubas, Mogi das Cruzes e Estudantes) deverão realizar uma baldeação na Estação Suzano e embarcar em trem com destino a Estação Estudantes.
Passageiros que estiverem em Mogi das Cruzes e tiverem como destino a Estação Luz (ou estação posteriores a de Suzano) também deverão fazer baldeação na Estação Suzano para embarcar um trem com destino a Estação Luz.

A baldeação na Estação Suzano deverá ser provisória. As quatro estações da cidade de Mogi das Cruzes não teriam condições técnicas para receber o Expresso Leste em todos os horários por conta da precariedade das estações e as passagens de nível a partir do Distrito de Jundiapeba em diante, problemas que poderão ser resolvidos médio a longo prazo pela CPTM.

Reunião entre o Deputado Federal eleito Marco Bertaiolli (PSD) e o secretário estadual de Transportes Metropolitanos Alexandre Baldy sobre o fim da baldeação em Guaianases

Na última quinta-feira (17), o deputado federal eleito Marco Bertaiolli (PSD) se reuniu, com o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy. Durante o encontro, o secretário informou que já estão sendo adotados os procedimentos para o fim da baldeação na estação Guaianases. A reunião aconteceu em São Paulo e também contou com a participação do prefeito de Mogi das Cruzes Marcus Melo (PSDB) e do presidente da Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, Sadao Sakai (PR).

Na ocasião, o secretário reforçou que o Governo do Estado já realizou estudos e análises para que o Expresso Leste possa chegar até a cidade de Mogi das Cruzes (cidade onde Marco Bertaiolli já foi prefeito) em todos os horários.
Não houve ao certo confirmação do secretário se no primeiro momento após o fim da baldeação na Estação Guaianases se os trens irão direto até Mogi das Cruzes ou apenas até a Estação Suzano como relatam as fontes do SuzanoHoje.com
Entre as estações Estudantes e Guaianases, circulam cerca de 220 mil pessoas por dia útil.

“É compromisso do governador João Dória melhorar o transporte público em toda a Região Metropolitana e é nossa prioridade fazer que o Expresso Leste una toda a linha e saia do papel definitivamente este ano. Já estamos com todos os estudos e todas as análises prontas para que possamos ir para o campo da realização”, afirmou o secretário estadual de transporte.

CPTM já aposentou trens antigos (conhecidos como “poeirinha”) da Linha 11-Coral

A CPTM anunciou recentemente em suas redes sociais que iniciou a operação da Linha 11 Coral em 2019 somente com composições novas.
Os trens antigos da extensão (Guaianases-Estudantes) foram todos substituídos por trens novos que atendem às normas de acessibilidade e conforto.

A baixa operacional desses trens já era esperada, já que a Linha 11-Coral recebeu novos trens da série 8500, fabricados pela espanhola CAF, além da série 9500, que são produzidos pela sul coreana Hyundai-Rotem.

Em nota, a CPTM confirmou a baixa operacional dos trens série 4400. Acompanhe:

“Os últimos trens da série 4400 foram retirados de operação no final de dezembro, atendendo à programação de renovação da frota. As composições antigas estão sendo substituídas por trens novos que atendem às normas de acessibilidade e conforto.”, informou a companhia em nota.

Série 4400

Fabricados em ao carbono, foram construídos na Fábrica Nacional de Vagões (FNV), em conjunto com a Cobrasma e Santa Matilde. A parte elétrica foi fornecida pela General Eletric.

Os trens foram adquiridos na década de 60 pela Rede Ferroviária Federal (RFFSA) para atender a operação dos passageiros no Rio de Janeiro e em São Paulo com o prefixo 400.