Nesta segunda-feira (04), um sócio e funcionários da empresa Midas Incorporadora e Investimentos LTDA foram presos na zona sul da cidade de São Paulo. A empresa é a mesma que realizou em Suzano, no mês de janeiro, um duvidoso processo seletivo para 600 vagas de emprego na área da construção civil.

Willams da Silva Hardman e outros sete funcionários da empresa Midas foram detidos pela Polícia Militar no Centro Comercial Santo Amaro no bairro Granja Julieta em São Paulo, além disso, a Policia também apreendeu um total de R$ 15.701,00 em espécie. Willams é foragido da Justiça do Rio Grande do Norte desde janeiro de 2017. O crime do qual ele é acusado é estelionato.

No momento da chegada da Policia ao local, 230 pessoas que tinham sido selecionadas em diversos processos seletivos realizados em cidades do estado de São Paulo para vagas de emprego estavam aguardando a realização de um suposto exame psicossocial, a empresa cobrava no local R$ 180 de cada selecionado.

Vítimas, qualificadas, que estavam no local foram encaminhadas como testemunhas ao 11°DP onde aguardam providências da Polícia Judiciária.

Uma das vítimas que acionaram a Policia ao local é morador de Suzano e citou as autoridades que participou de um processo seletivo da empresa em um prédio da Prefeitura de Suzano. Segundo ela, a realização do suposto processo seletivo e a ampla divulgação pela Prefeitura de Suzano deu credibilidade a seleção. Os detidos, sócios e funcionários da empresa Midas foram enquadrados por flagrante de estelionato.

Seleção de vagas em Suzano

A Midas Incorporadora e Investimentos LTDA é a mesma empresa que realizou em Suzano, nos dias 7 a 11 de janeiro, uma duvidosa seleção para vagas de emprego no exterior dentro do Centro Unificado de Serviços da Prefeitura de Suzano. Na ocasião, os selecionados também tiveram que desembolsar R$ 180,00 para realizarem um exame psicossocial.

Selecionados reclamaram nas redes sociais do valor do exame e também da demora da empresa na conclusão da seleção.

COMPARTILHAR