terça-feira, 11 maio 2021

Durante a noite, Linha-12 Safira da CPTM é sinônimo de insegurança e medo para passageiros

Linha-12 safira da CPTM é sinônimo de insegurança para usuários que utilizam o serviço a noite e convivem com relatos de roubos, arrastões e panico nas composições da Linha.
A CPTM registrou em 2018 um aumento considerável no número de incidentes de roubos, com altos índices de casos na Linha-12 Safira.
Em Abril de 2018, alguns homens durante a madrugada, horário que os serviços estão paralisados, furtaram cabos e causaram transtornos por vários dias na Linha 12.
No início do ano, em algumas estações da linha, usuários relataram casos de venda de drogas, com omissão da CPTM.
Eduardo Canda (18 anos), é morador de Suzano, e utiliza a linha-12 Safira da CPTM todos os dias no horário noturno para estudar tecnologia da informação em São Miguel.
O jovem relata, que recebeu a orientação de colegas mais velhos para evitar a utilização do primeiro e último vagão, pois segundo outros alunos universitários, é nesses vagões que ocorrem algumas atividades ilícitas.
Eduardo afirma que “Quando passa da estação Engenheiro Manoel Feio, o trem começa a reduzir a velocidade e esvaziar, evito mexer no meu celular, pois nunca sei com quem estou dentro do vagão “.
Medidas de seguranças, não são adotadas pela CPTM na linha-12 Safira, e os passageiros que utilizam o transporte no período noturno, por hora terão que conviver com o medo e insegurança de todos os dias.

Os números foram obtidos via lei de acesso à informação.