Prefeitura de Mogi das Cruzes inicia obras de construção de nova UPA em Jundiapeba

A Prefeitura de Mogi das Cruzes realiza nesta quinta-feira (30), às 10 horas, o início das obras de construção da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Jundiapeba. O evento será realizado na Rua Cecília da Rocha, esquina com rua Dr. Francisco Soares Marialva, na área que abrigará o novo equipamento de urgência e emergência no Distrito.

A UPA Jundiapeba terá localização estratégica, no final da Avenida Altino Arantes, permitindo facilidade de acesso à população. “A construção de uma UPA 24 horas em Jundiapeba representa um importante avanço na qualidade dos atendimentos de urgência e emergência em uma das regiões que mais populosas da nossa cidade. Além disso, complementa uma série de outros serviços de saúde já existentes no Distrito”, explica o prefeito de Mogi das Cruzes Marcus Melo.

No total, serão cerca de 1,5 mil metros quadrados de área construída, organizada por setores, como Pronto Atendimento, Apoio Diagnóstico e Terapia, Urgência, Observação, Apoio Administrativo, Apoio Técnica e Logístico, entre outros. A nova unidade será uma UPA contará com consultórios médicos e de enfermagem, 11 leitos (sendo 2 de isolamento), salas de observação, raio-X, eletrocardiografia, exames laboratoriais, entre outros espaços. Terá capacidade para realizar uma média de 8 mil atendimentos por mês.

A UPA de Jundiapeba será a terceira e Mogi das Cruzes, que já conta com equipamentos nos bairros do Rodeio e Oropó. “Estamos ampliando a oferta de atendimento de urgência e emergência em outro extremo da nossa cidade”, explica o secretário municipal de Saúde, Francisco Bezerra.

A Unidade de Pronto Atendimento é uma estrutura de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde e as portas de urgência hospitalares, que funcionam 24 horas por dia, todos os dias, inclusive sábados, domingos e feriados. Está equipada e preparada para resolver grande parte das urgências e emergências como crises hipertensivas, febre alta, cortes, infartos e derrames, contribuindo para reduzir as filas nos pronto-socorros dos hospitais. Quando o paciente chega à UPA, os médicos prestam socorro, controlam o problema e fazem o diagnóstico. Se for necessário, o paciente pode ser encaminhado ao hospital ou permanecer em observação por até 24 horas.