Alguns professores e funcionários da área da educação participarão de uma nova paralisação nesta quinta-feira (30), contra os cortes/contingenciamento do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na área da educação, na ciência e na pesquisa brasileira. Instituições de ensino, como faculdades e escolas públicas e privadas devem ter suas aulas prejudicadas pela greve.

Os atos do dia 30M (30 de maio), “Em Defesa da Educação e Contra a Reforma da Previdência”, foram convocados pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e já têm adesão de centenas de entidades ligadas ao ensino e das principais centrais sindicais do país. Eles estão programados para acontecer em diversas capitais e cidades do país.

COMPARTILHAR