quinta-feira, 29 outubro 2020

Cachorro que “visitava” diariamente a loja da Casas Bahia de Suzano é adotado por funcionário do local

Essa é mais uma daquelas histórias com finais felizes que mostra o quanto é grande o coração de algumas pessoas. Muita gente vai lembrar do cachorro que foi registrado dormindo em um sofá de uma loja das Casas Bahia e que viralizou nas redes sociais. Muita gente lembrará também da atitude dos funcionários do local neste caso, incrível, pois, além de recebê-lo bem, davam água e comida, e muito carinho.

Pois bem, essa história foi apurada e foi descoberto que o caso aconteceu na loja de Suzano das Casas Bahia, e segundo o gerente desta unidade, Wilson Moreira, já fazia mais de um mês que eles recebiam a visita deste “serumaninho de quatro patas”.

“Aqui já temos uma rotina voltada a sempre ajudar, pois, por ser uma região central, sempre aparecem animais por aqui”, disse o gerente..

Em nota ao site Razões Para Acreditar (publicação que divulgou em primeira mão essa linda história), a assessoria da Casas Bahia informou que “a empresa parabenizou a equipe e estima que atitudes como essa sejam exemplos a serem seguidos por outras unidades e lojas que representam a marca”.

Nos dias em que o cachorro se “hospedou” na loja (fotos abaixo), tinha um funcionário que já estava de olho nele, o Henrique Ferreira, 33 anos. “O pessoal falava, por que você não adota ele, até que um dia, no fim do expediente, ele estava me esperando”, disse o funcionário.

E na noite do dia 26 de maio, no sábado, o colaborador levou o novo amigo para casa.

Como vocês podem ver na foto abaixo, ele foi embora tranquilinho.

Agora, o “cachorro da Casas Bahia” é do Henrique e chama Dook. “Ele já está no meu coração, a bondade e a gratidão dele foram suficientes para eu esquecer qualquer dificuldade. Hoje tenho um amigo, um filho de quatro patas”, relatou Henrique, que contou também que recentemente foi assaltado violentamente. Levaram seu carro, que ele está pagando até hoje.

“Apesar dos problemas financeiros, eu não pensei duas vezes de levá-lo pra casa. Peguei um pouco de ração da minha mãe e no dia seguinte comprei no cartão um pacote de ração de 15 kg e uma coleira. Um amigo, que eu divido moradia comigo, fez uma casinha improvisada com um edredom quentinho. Quando ele quer fazer suas necessidades na rua, ele me chama. Amei isso, pois, já que estou gordinho, ele está me incentivando a andar com mais frequência”, brincou.

(com informações dos sites Razões Para Acreditar e Histórias Com Valor)