quinta-feira, 22 outubro 2020

Delegado percebe engano, consegue habeas corpus e solta homem que prendeu em Mogi das Cruzes

Um homem de 45 anos de Mogi das Cruzes foi solto na noite da última terça-feira (27), depois de ter ficado na cadeia por uma semana. A Polícia suspeita que o pedreiro foi preso por engano, no lugar do irmão. O mesmo delegado que prendeu Marcelo Santos Morais pediu um habeas corpus e conseguiu soltar o homem.

Durante o cumprimento do mandado de prisão expedido em Goiás por uma tentativa de furto, o delegado Jaime Pimentel Junior observou diferenças nos documentos de Marcelo Santos Morais em relação às informações do mandado de prisão.

O delegado Jaime Pimentel Junior, encarregado pela prisão, observou diferenças nos documentos do Morais em relação às informações do mandado de prisão. Uma delas foi que na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do pedreiro consta que ele nasceu em 6 de janeiro de 1974. Já no ofício do Ministério Público, o suspeito de Cristalina disse que nasceu em 30 de julho de 1979.

“Dentro da investigação que fizemos para formar nossa convicção trabalhamos com indícios. E tem um forte indício que o irmão pelo antecedente criminal e pela conduta demonstrada pelo próprio Marcelo pode ser o responsável pelo crime. Tal fato tem que ser apurado pela comarca de Cristalina. Nós aqui de Mogi das Cruzes simplesmente demos cumprimento ao mandado. Constatamos divergência no histórico, que há indícios que estaríamos prendendo uma pessoa inocente e impetramos o habeas corpus”, explica Pimentel Junior.

A prisão

O pedreiro foi localizado pela polícia depois de ter ido com a esposa ao Poupatempo de Mogi para tirar um RG. Sandra Regina Paes contou que, na unidade, eles receberam um protocolo para retirar o documento e, dias antes de ele vencer, ligaram ao Poupatempo. Segundo a esposa, o serviço alegou que a foto que ele tirou não servia e precisava fazer outra.

“Mas quando chegamos lá não era nada disso. Eu deixei ele em um canto e fui tirar o RG do meu filho. Quando voltei ele não estava mais. Depois vi uma cena muito triste. Meu marido algemado em um cano como se ele tivesse matado alguém. E ele é muito calmo. Eu perguntei o que aconteceu e ele disse que não sabia.”

Foi então que o casal descobriu que havia um mandado de prisão em nome dele expedido na cidade de Cristalina, em Goiás. Morais foi levado para a cadeia de Mogi das Cruzes para responder por uma tentativa de furto.

Nesta terça-feira, depois de sete dias preso, a Justiça expediu o alvará de soltura de Morais. Ele agora quer provar a inocência ao lado da família. “Vou procurar meus direitos porque aqui é um inferno e acho que ninguém merece. E uma pessoa que nunca passou por um lugar desse, não faz ideia.”

Morais ainda precisa comprovar na Justiça que nunca esteve em Cristalina.
A Polícia Civil da cidade precisa encontrar o suspeito que usou as informações de Morais em uma identidade falsa.

Crime em Goiás

De acordo com o ofício do Ministério Público de Cristalina, em 2004, dois homens tentaram arrombar as portas de uma loja de materiais de construção da cidade. Eles foram presos em flagrante.

Um deles se identificou como Marcelo Santos Morais e conseguiu fugir da prisão de Goiás. Por isso, a juíza Débora Letícia Dias Veríssimo expediu um mandado de prisão contra o mogiano.

(com informações e imagens do G1 – o site de notícias da Globo)