quinta-feira, 9 julho 2020

Adolescente homossexual assassinado em Itaquaquecetuba sofreu tortura antes de morrer

A morte do adolescente Giovane Davi da Silva Bezerra Santos de 15 anos, homossexual assumido, conhecido também como Médely Razard causou comoção nas redes sociais por conta da brutalidade do assassinato.

O corpo de Giovane foi encontrado na Estrada do Pinheirinho, no bairro Estância Guatambu, em Itaquaquecetuba, na manhã da última sexta-feira (20). O jovem estava nu, amordaçado e com uma bermuda na cabeça.
Segundo informações, o jovem estava com um fio enrolado no pescoço, além de braços, pernas e dentes quebrados, indicando que Giovane foi torturado antes de morrer.

Nayara Santos Ribeiro, cunhada de Giovane contou que o viu pela última vez na noite de quinta-feira (19) dizendo que ia para a casa de uma amiga.

“Nove e pouco ele mandou mensagem para a mãe dele avisando que já já ele estaria indo para a casa. A mãe visualizou e mandou um áudio para ele falando para não demorar e não chegar tarde em casa, que no outro dia ele teria aula. Foi onde ela não teve mais o retorno”, conta Nayara.

Wagner Francisco dos Santos que é segurança na região do crime, chamou a Polícia. Ele trabalha das 18 às 6 da manhã e diz que não viu nada suspeito durante o turno dele. “Nem de madrugada e nem de noite, não ouvi nada. Aqui é cheio de mato, mas não ouvi nenhum grito”.

Segundo a polícia, ao lado do corpo, estava o celular do adolescente. O aparelho ajudou na identificação da vítima. “Na hora que o pessoal chegou aqui antes da polícia, o celular tocou e uma das pessoas curiosas que estavam aqui atendeu e informou que o rapaz estava aqui morto”, disse o cabo da Polícia Militar Alexandre Geraldo, que atendeu a ocorrência.

A polícia ainda não tem pistas de quem teria cometido o crime. O celular da vítima foi apreendido pela Polícia.

(com informações do G1 – o site de notícias da Globo)