Justiça Federal decretou intervenção em todas as unidades da Universidade Brasil, na última quinta-feira (13). Faculdade de Suzano (antiga Unisuz) faz parte do grupo

A Justiça Federal (subseção da cidade de Jales, no interior de São Paulo) aceitou o pedido do Ministério Público Federal e decretou a intervenção de todas as unidades da Universidade Brasil.
A Faculdade de Suzano (antiga Unisuz), faz parte do grupo.
A instituição é acusada, segundo a justiça, de esquemas de fraudes na venda de vagas do curso de Medicina e na aquisição do Fies e ProUni.

A Justiça também concedeu cinco dias para que o Ministério da Educação (MEC) monte uma comissão ou indique uma nova diretoria para administrar a Universidade, assumindo todas suas unidades (inclusive de Suzano), após escândalos de corrupção e inúmeras ações judiciais.

Na manhã da quinta-feira (13), a Policia Federal realizou a Operação “Verità Protetta” (verdade protegida), desdobramento da Operação Vagatomia que gerou a apreensão de novos documentos, além de diligências na casa do novo reitor da Universidade Brasil Adib Abdouni.

Na primeira fase da operação, em setembro de 2019, o antigo reitor José Fernando Pinto da Costa, que também é dono do grupo educacional, foi preso e afastado do cargo em razão de diversas fraudes relacionadas a um curso de medicina na cidade de Fernandópolis, no interior de São Paulo.

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal receberam denúncias e informações sobre fraudes no FIES, além da comercialização de vagas no curso de medicina e fraudes relacionadas ao exame Revalida, teste para avaliar o conhecimento dos alunos que estudam ou estudaram medicina no exterior, principalmente no Paraguai, Bolívia e Argentina.

Em nota oficial, a reitoria da Universidade Brasil alega retaliação da Polícia Federal contra a nova administração por tentar anular os procedimentos, criticando a atuação do delegado federal. “No legítimo direito de defesa e sem cometer ilegalidades, o reitor Adib Abdouni havia entrado com representação contra o delegado da Polícia Federal Cristiano Pádua da Silva, contra este foi pedida inclusive sua prisão, uma vez que vinha intimidando funcionários do campus Fernandópolis da Universidade e o próprio reitor”.

Na manhã desta sexta-feira (14), o site SuzanoHoje.com tentou contato com a direção da Faculdade de Suzano (antiga Unisuz), que faz parte do grupo Universidade Brasil. Até o encerramento desta matéria, a unidade Suzano não havia se manifestado sobre esse assunto.
O Ministério da Educação ainda não se manifestou sobre a decisão da Justiça Federal.