segunda-feira, 30 novembro 2020

Tabacarias irregulares são lacradas com blocos e cimento durante fiscalização no centro de Suzano

O Setor de Fiscalização de Posturas da Prefeitura de Suzano realizou uma nova operação em estabelecimentos comerciais em situação irregular na noite da última quinta-feira (13). Como resultado, duas tabacarias da região central da cidade, que operavam sem alvará de funcionamento e que eram reincidentes foram interditadas e tiveram suas entradas bloqueadas com blocos e cimento.

Os fiscais contaram com apoio da Guarda Civil Municipal (GCM), por meio da a Ronda Ostensiva Municipal (Romu), e da Força Tática da Polícia Militar para garantir a integridade física e o bom andamento dos trabalhos. Os lounges de narguilé fechados estão localizados nas ruas Sete de Setembro e Baruel, ambos na área central.

Os pontos comerciais já haviam sido visitados pelas autoridades municipais, sendo uma das ocasiões a operação conjunta promovida em junho de 2019. Na época, 11 estabelecimentos foram notificados e multados por violações ao Código de Posturas do Município e ausência de alvará de funcionamento e de Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Todos se comprometeram a regularizar a situação.

A justificativa para o fechamento com blocos e cimento, segundo os fiscais, foi de que os donos das tabacarias desobedeceram ao lacre aplicado no local anteriormente que determinava a suspensão de suas atividades. Em um dos locais interditados, também foi constatado que a ligação de energia elétrica era irregular. O Setor de Fiscalização de Posturas acionou a concessionária responsável para que sejam tomadas as devidas providências.

Os proprietários dos pontos comerciais interditados devem entrar em contato com a Diretoria de Vigilância Sanitária, da Secretaria de Saúde de Suzano, para as orientações necessárias a fim de obterem o AVCB e o alvará de funcionamento. Caso reabram os locais derrubando os bloqueios, poderão responder criminalmente e ser apresentados à autoridade policial.

Divulgação/Secop Suzano)

(Imagens:Divulgação/Secop Suzano)