Caminhoneiros marcam nova greve em todo o Brasil para próxima quarta-feira (19). Líder da greve é o mesmo que organizou a de 2018, que parou o país

Caminhoneiros de todo o Brasil articulam uma nova greve para a próxima quarta-feira (19). As informações são do presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Wallace Landim, conhecido como Chorão.
Chorão ficou conhecido nacionalmente como líder da greve dos caminhoneiros de 2018, que parou o país.

A categoria havia decidido parar para acompanhar a votação que decidiria a constitucionalidade da tabela do frete no Superior Tribunal Federal (STF). A votação, porém, foi suspensa a pedido da Advocacia Geral da União (AGU), o que desagradou os profissionais. Eles decidiram, então, cruzar os braços das 6 as 18 horas em protesto. “A categoria vai parar na quarta-feira em resposta ao descaso do ministro (Fux)”, afirma Chorão.

Wallace Landim, o Chorão (Divulgação)

O sindicalista afirmou que o ministro Luiz Fux não indicou quando o assunto será colocado novamente em pauta pelo Supremo. É o segundo pedido de adiamento de votação do tema pelo governo.

A tabela de frete foi uma das principais medidas criadas pelo Governo para por fim a greve dos caminhoneiros de 2018. O ministro Fux é relator de três ações diretas de inconstitucionalidade (ADI) contra a lei, movidas por Associação do Transporte Rodoviário do Brasil (ATR Brasil), Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que representam transportadoras e grupos de empresários. Elas alegam que a tabela de frete fere os princípios constitucionais da livre concorrência e livre iniciativa. Já os caminhoneiros alegam que sem o mecanismo, não é possível cobrir os custos do serviço e garantir o sustento.

Porto de Santos

Um grupo de motoristas autônomos está paralisado nas imediações do Porto de Santos, na cidade de Santos, desde a zero noite desta segunda-feira (17). O grupo, que está concentrado no bairro da Alemoa, não está bloqueando vias, segundo informou o jornal “A Tribuna”. A previsão é de que o protesto se encerre à meia noite.

O protesto havia sido proibido pela Justiça, em atenção a um pedido da Companhia Docas do Estado de São Paulo. Em um vídeo, os trabalhadores informavam que bloqueariam o Porto de Santos. O juiz Roberto da Silva Oliveira vetou as manifestações em liminar, sob pena de pagamento e multa diária de R$ 200 mil. Os caminhoneiros estão proibidos de bloquear os acessos ao porto entre os dias 17 e 21 de fevereiro.

(com informações do Estadão Conteúdo)