segunda-feira, 13 julho 2020

Com possível adiamento das eleições, Ashiuchi poderá ficar até dois anos a mais no cargo de prefeito, em Suzano

Além de gerar uma quarentena com a paralisação de diversos serviços, a pandemia do coronavírus (covid-19) poderá adiar as eleições municipais, marcada para outubro deste ano, poderá ser adiada.
Se houver o adiamento, o prefeito Rodrigo Ashiuchi poderá “ampliar” seu tempo de gestão em frente a Prefeitura de Suzano, em um ou até dois anos, dependendo da data da nova eleição.

Com o possível adiamento das eleições, Ashiuchi poderá ficar um ano a mais no cargo de prefeito (se as eleições forem realizadas em outubro de 2021) ou até dois anos a mais no cargo (se as eleições forem realizadas apenas em outubro 2022, por economia, junto com as eleições gerais).

Em uma conversa virtual com a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), o próximo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, admitiu que a data do pleito, cujo primeiro turno está marcado para 4 de outubro, pode mudar.

Segundo Barroso, a decisão deve ser pautada por parâmetros sanitários e não políticos. “Por minha vontade, nada seria modificado porque as eleições são um rito vital para a democracia. Portanto, o ideal seria nós podermos realizar as eleições. Porém, há um risco real, e, a esta altura, indisfarçável, de que se possa vir a ter que adiá-las”, adiantou Barroso que assumirá a presidência da Corte eleitoral, atualmente comandado por Rosa Weber, no final de maio.