quarta-feira, 21 outubro 2020

Quarentena é prorrogada na cidade de São Paulo até o dia 15 de junho. Reabertura de comércios não será imediata, diz prefeito

O prefeito Bruno Covas prorrogou até o dia 15 de junho a proibição de atendimento presencial em estabelecimentos na cidade de São Paulo. O governador João Doria (PSDB), ao anunciar o Plano São Paulo de retomada da economia no estado, incluiu a capital paulista na zona laranja, que possibilita a reabertura a partir desta segunda-feira (01).

Vinte e quatro horas depois de o governador anunciar o plano, ao lado de Covas, o prefeito informou que a reabertura não seria imediata, uma vez que protocolos para isso teriam de ser aprovados.

O decreto de Covas também disciplina como será a retomada no atual estágio da cidade, laranja, que permite a abertura de comércios, serviços e shoppings centers.

Shoppings centers e o comércio de rua nas cidades paulistas autorizadas a retomar atividades econômicas terão de respeitar uma série de restrições, de fluxo e horário de funcionamento, para reabrir.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, informou que shoppings e o comércio nas cidades da fase 2 de flexibilização (como é o caso da capital paulista), só poderão operar com 20% da capacidade e com horário de funcionamento de quatro horas por dia. No caso dos shoppings, as praças de alimentação devem ficar fechadas.

O Estado tem cinco fases de quarentena (vermelha, laranja, amarela, verde e azul), sendo a primeira a restrição total e última a liberação. Há uma série de protocolos em cada etapa.