terça-feira, 11 agosto 2020

IFSP de Suzano é a melhor escola pública federal do estado, segundo levantamento de desempenho

O Câmpus Suzano do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) aparece no topo do ranking das instituições de ensino federais no estado de São Paulo e também como melhor escola pública do município de Suzano e região do Alto Tietê, de acordo com levantamento feito pela plataforma educacional Evolucional, que aponta o desempenho dos estudantes das escolas públicas e privadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2019.
O relatório foi divulgado no dia 26 de junho.

A lista de microdados, por estados, é baseada nos dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Institucionais Anísio Teixeira (Inep). O levantamento foi feito utilizando apenas os dados de alunos que cursaram o terceiro ano do ensino médio em 2019 e não zeraram nenhuma das provas. Também foram considerados somente as escolas que tiveram mais de 10 alunos participantes nas provas.

Considerando as provas objetivas e sem contar com a nota dos alunos na redação do Enem, o Câmpus Suzano figura como a 22ª melhor classificada na lista de escolas públicas federais do Brasil e ocupa a 381ª posição no ranking das melhores escolas do país. Dentre as unidades do IFSP, os estudantes do Câmpus Suzano tiveram o melhor desempenho. Em relação às escolas públicas e privadas do município de Suzano, a instituição está em primeiro lugar na lista do site que tabulou os dados.

Considerando a redação do Enem, o Câmpus Suzano/IFSP continua em primeiro lugar no município de Suzano, entre as unidades do IFSP e é considerada a 49ª melhor escola federal do país e ocupa o 772º lugar na classificação geral das escolas do Brasil.

Para o diretor-geral pro tempore do Câmpus Suzano, Wagner Garo, embora o alvo não seja conquistar esta ou aquela posição em qualquer ranking, os resultados foram recebidos com muito orgulho e alegria. Ele acredita que esses resultados são balizadores de todo um trabalho que busca oferecer um serviço de qualidade, gratuito e inclusivo, caracterizado pela construção participativa de todos os entes da comunidade (alunos, servidores, poder público local, empresas e organizações comunitárias da região). Ainda segundo Wagner, os bons desempenhos locais dos câmpus só têm a contribuir para tornar a Instituição, cada vez mais, um orgulho para a comunidade e região, demonstrando os ganhos efetivos e potenciais que este modelo de ensino pode trazer para o país.